Gamer Lifestyle

O blog do Fabão

Íntegras: Contra 4 (Review, NDS) [NGamer Brasil 07, 01/2008]

Posted by Fabão em 3 agosto, 2008

Migre para o novo GamerLifestyle.com.br e curta mais atualizações, drops com as notícias do dia e muitos outros recursos.
Novo site: http://gamerlifestyle.com.br/
Novo feed: http://feeds2.feedburner.com/GamerLifestyle-com-br


Contra 4

Retorno às origens

Sistema: Nintendo DS
Produção: Konami
Desenvolvimento: Wayforward Technologies
Lançamento: 13 de novembro de 2007 (EUA)
Mais: http://www.konami-data.com/officialsites/contra4/

Tudo bem, Konami, você está perdoada por nos insultar quatro vezes com seqüências 3D de Contra; por nos fazer esperar 15 anos por outro bom e velho Contra 2D; por entregar nas mãos de um estúdio americano a tarefa de ressuscitar sua série de tiro. Contra todas as tendências, Contra 4 mostra-se um excelente jogo e um surpreendente retorno às origens.

Sob nova direção

Quem confiaria na Wayforward Technologies, uma empresa cujo currículo inclui versões portáteis de licenças como Bob Esponja, Barbie e Jake Long? Faria mais sentido entregar o novo Contra à Treasure, empresa formada por ex-funcionários da Konami, que reviveu Gradius com o quinto jogo e tem experiência em jogos de ação como Gunstar Heroes.

Mas é nítido o respeito que a equipe teve pela tarefa. Houve um cuidadoso trabalho de pesquisa para compreender a essência dos episódios originais – leia-se: Contra, Super Contra, Contra III e Contra: Hard Corps – e rigor na aplicação desses conceitos.

(Leia mais após o “salto”)

Inovando com parcimônia

O poder e os recursos do Nintendo DS foram utilizados com sabedoria: o processamento de imagens 2D foi vital para criar os cenários com belos efeitos, os chefes gigantes e, principalmente, a excelente animação dos sprites. Ambas as telas foram usadas para compor os cenários – nada de mapinhas ou informações inúteis ocupando uma tela. O microfone e a stylus, ainda bem, não entram em jogo.

A mecânica continua a mesma de 20 anos atrás, baseada no estímulo de dois hormônios: a testosterona, permitindo que você atravesse selvas, cachoeira e bases inimigas disparando tiros sem maiores conseqüências; e a adrenalina, pois seu soldado é tão macho que não veste colete – um único tiro ou uma leve esbarrada é suficiente para matá-lo instantaneamente.

Essa regra implacável é responsável pela fama de difícil que a série tem, e Contra 4 não é diferente. No Easy você começa com 10 vidas, tem 5 continues e suas armas especiais vêm com upgrade; mesmo assim é pedreira passar pelos sete estágios – e você nem pode assistir ao final. No Normal (um eufemismo para “Ignorante”), são 5 vidas, 4 continues e sistema de armas normal; avançando com isso, você tem acesso a todas as nove fases e ao verdadeiro final. No Hard (que deveria se chamar “PQP!”), são 3 vidas e 3 continues, além de novas músicas de fundo para empolgar os corajosos. Conforme aumenta o nível de dificuldade, os inimigos ficam mais rápidos e mais numerosos.

Como em Contra III, você pode carregar duas armas diferentes e alternar entre elas. A novidade é o sistema de upgrades: se pegar uma mesma arma duas vezes, ela fica mais poderosa. O arsenal disponível mistura armas de todos os episódios, do emblemático Spread Shot aos Homing Missiles.

Outra novidade é o Grappling Hook, que serve para alcançar a tela superior. A propósito, o jogo tem um elemento de plataforma, com pulos bem calculados, em vez do simplório esquema “corra e atire” de Contra III.

A maioria das fases tem deslocamento lateral ou vertical, mas há também fases em corredores, com câmera nas costas, como do Contra original. As fases com visão superior, no entanto, foram deixadas de lado.
Inicialmente, você pode selecionar entre quatro personagens diferentes, mas todos são iguais em jogabilidade. O tradicionalíssimo modo para dois jogadores está presente, mas, infelizmente, é necessário ter dois cartões de jogo.

Pacote robusto

Ao terminar o jogo em qualquer dificuldade (o código da Konami pode facilitar um pouquinho a tarefa), você habilita o Challenge Mode. Esse modo apresenta 40 desafios temáticos – passe por um trecho sem disparar tiros, cumpra um tempo determinado etc. – e serve para liberar conteúdo extra, desde personagens adicionais até Contra e Super Contra do NES.

O pacote é completíssimo e recheado de homenagens – talvez até demais. Fica a sensação de que faltou algum conteúdo inédito, em vez de fases e inimigos que se parecem demais com os originais. Mas é melhor um bom jogo novo com cara de remake que um ruim e inovador, já dizia New Super Mario Bros.

O QUE É
Jogo comemorativo dos 20 anos de Contra e o primeiro novo episódio 2D da série em 15 anos.

VISUAL
Cenários bem trabalhados, sprites com animação suprema, chefes gigantescos e velocidade inabalável, mesmo com dezenas de tiros e inimigos na tela.

ÁUDIO
Nostalgia pura. Efeitos sonoros instantaneamente identificáveis e versões remixadas de músicas conhecidas.

JOGABILIDADE
A ação flui nas duas telas, mas o espaço existente entre elas pode causar algumas mortes até você se acostumar.

INOVAÇÃO
O jogo não se propõe a inovar. Seu charme é justamente estar preso às boas raízes da série: tiroteios descompromissados e dificuldade elevada.

RESUMO
Não apenas a dificuldade o manterá jogando por muito tempo, mas também a quantidade de conteúdo extra.

Anúncios

4 Respostas to “Íntegras: Contra 4 (Review, NDS) [NGamer Brasil 07, 01/2008]”

  1. Gaba said

    Queria muito uma versão 2D em Full HD.
    Ia ser de mais!

  2. Fabão said

    @Gaba
    Tem Contra e Super Contra para Xbox Live Arcade, que são versões do arcade em 720p e com Conquistas. Parece que não são grandes conversões (especialmente o Super Contra e seu co-op online quebrado – não sei se arrumaram), mas são HD filtrados.
    Particularmente, prefiro este novo jogo original que, apesar da resolução de telinha, tem conteúdo sólido. Acho que a gente ficou mal-acostumado com esse lance de Full HD.
    A propósito, sou a favor de Mega Man 9. 😛

  3. Contra e SuperContra do NES foram alguns dos melhores momentos hardcore da minha infância… sensacionais.. E Contra 4 é um dos primeiros jogos que vou comprar, provavelmente junto com o DS.

  4. Eu comprei há pouco tempo (achei por uma pechincha, R$ 70,00) e reforço tudo que o Fabão disse: é game hardcore da melhor qualidade!!! Graças a deus que existe o “Konami code” para ajudar um pouquinho…:D

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: