Gamer Lifestyle

O blog do Fabão

Archive for the ‘Uncategorized’ Category

Íntegras: Sobre Exclusividades [D&T PlayStation 115, 08/2008]

Posted by Fabão em 14 agosto, 2008

Migre para o novo GamerLifestyle.com.br e curta mais atualizações, drops com as notícias do dia e muitos outros recursos.
Novo site: http://gamerlifestyle.com.br/
Novo feed: http://feeds2.feedburner.com/GamerLifestyle-com-br


Final Fantasy XIII é mais um que cedeu aos novos tempos
Final Fantasy XIII é mais um que cedeu aos novos tempos

Exclusividade de Ninguém

Cenário agressivo da atual geração fecha o cerco contra os jogos que privilegiam uma única plataforma

A coletiva de imprensa da Microsoft trouxe o maior (talvez o único verdadeiro) megaton da E3 2008: Final Fantasy XIII, agora também no Xbox 360. A notícia foi encarada como um soco no estômago por alguns proprietários de PlayStation 3, e até como uma facada nas costas pelos mais extremistas – que parecem ignorar o fato de que o jogo continua previsto para PS3. Para a Sony, apesar de certamente não ter sido nenhuma surpresa, também não foi um acontecimento agradável: “Acho que decepcionado é realmente um termo apropriado”, confessou um resignado Jack Tretton, presidente da SCEA, durante uma entrevista coletiva no evento.

O anúncio é mais importante pelo que ele simboliza do que pelo fato em si. Desde que a Square rompeu com a Nintendo, em meados dos anos 1990, as seqüências numeradas de Final Fantasy eram exclusividade do PlayStation (à exceção do MMORPG FFXI, que é um caso à parte). O décimo terceiro jogo da série permanecia forte como um dos últimos baluartes de uma era que já morreu, a das exclusividades.

(Leia mais após o “salto”)

Continue lendo »

Anúncios

Posted in Artigos, Íntegras, Editora Europa, Indústria de games, Istas, Nova geração, PlayStation 3, Uncategorized, Wii, Xbox 360 | Etiquetado: , , , , , , , , , , , | 10 Comments »

Íntegras: Contra 4 (Review, NDS) [NGamer Brasil 07, 01/2008]

Posted by Fabão em 3 agosto, 2008

Migre para o novo GamerLifestyle.com.br e curta mais atualizações, drops com as notícias do dia e muitos outros recursos.
Novo site: http://gamerlifestyle.com.br/
Novo feed: http://feeds2.feedburner.com/GamerLifestyle-com-br


Contra 4

Retorno às origens

Sistema: Nintendo DS
Produção: Konami
Desenvolvimento: Wayforward Technologies
Lançamento: 13 de novembro de 2007 (EUA)
Mais: http://www.konami-data.com/officialsites/contra4/

Tudo bem, Konami, você está perdoada por nos insultar quatro vezes com seqüências 3D de Contra; por nos fazer esperar 15 anos por outro bom e velho Contra 2D; por entregar nas mãos de um estúdio americano a tarefa de ressuscitar sua série de tiro. Contra todas as tendências, Contra 4 mostra-se um excelente jogo e um surpreendente retorno às origens.

Sob nova direção

Quem confiaria na Wayforward Technologies, uma empresa cujo currículo inclui versões portáteis de licenças como Bob Esponja, Barbie e Jake Long? Faria mais sentido entregar o novo Contra à Treasure, empresa formada por ex-funcionários da Konami, que reviveu Gradius com o quinto jogo e tem experiência em jogos de ação como Gunstar Heroes.

Mas é nítido o respeito que a equipe teve pela tarefa. Houve um cuidadoso trabalho de pesquisa para compreender a essência dos episódios originais – leia-se: Contra, Super Contra, Contra III e Contra: Hard Corps – e rigor na aplicação desses conceitos.

(Leia mais após o “salto”)

Continue lendo »

Posted in Análises, Íntegras, Editora Europa, Nintendo DS, Uncategorized | Etiquetado: , , , , , , | 4 Comments »

Íntegras: Pensamento Metacrítico [GameMaster 41, 06/2008]

Posted by Fabão em 4 julho, 2008

Migre para o novo GamerLifestyle.com.br e curta mais atualizações, drops com as notícias do dia e muitos outros recursos.
Novo site: http://gamerlifestyle.com.br/
Novo feed: http://feeds2.feedburner.com/GamerLifestyle-com-br


Íntegra do texto publicado na coluna Jogo Sério da GameMaster 41. E você, o que acha do Metacritic e similares?

Pensamento Metacrítico

Como os agregadores de reviews estão mudando a indústria

duas edições, aqui mesmo na minha coluna, insinuei como os sites Metacritic.com e GameRankings.com são inconvenientes para críticos de jogos. Basicamente, o que eles fazem é registrar as notas que os produtos recebem em análises e calcular uma média dessas pontuações. O Game Rankings compila reviews de jogos desde 1998 e o Metacritic estreou em 2001 e é o mais popular, já que também agrega notas de filmes, CDs de música, DVDs, seriados e livros. Há outros sites que fazem o mesmo, como o Rotten Tomatoes e o GameStats, mas a dupla em questão é a mais amplamente consultada para jogos eletrônicos.

Num primeiro momento, apenas os próprios críticos se importavam com esses sites, pois viam seu trabalho colocado num bacião para fins estatísticos. Depois a indústria passou a dar relevância para o recurso. Atualmente, uma quantidade de jogadores que não se pode ignorar cultiva o hábito de consultar o Metacritic e o Game Rankings para fazer suas decisões de compra.

Embora eu (e boa parcela dos críticos de jogos) considere esse pareamento nocivo para a profissão e margem para a banalização dos próprios jogos (pois implica que eles podem ser medidos por uma escala objetiva), é forçoso reconhecer que ele está moldando a indústria.

Não se vêem mais estampadas nas embalagens as frases de sites e revistas acompanhadas da boa nota, mas multiplicam-se os comunicados à imprensa que destacam a média do jogo no Metacritic. As ações de uma produtora podem cair (como no caso da Activision no lançamento de Spider-Man 3) ou subir (como as da Take Two na chegada de BioShock) com as pontuações obtidas no site. Desde 2004, a Warner Bros. usa o Metacritic como parâmetro para cobrar royalties de suas licenças. Não são poucas as produtoras que bonificam os desenvolvedores de acordo com as médias do Game Rankings (e não mais apenas segundo os números de vendas). Este ano, a Electronic Arts adiou alguns de seus jogos para oferecer mais qualidade, visando conquistar uma média agregada de 80 pontos ou mais no Metacritic (que foi de 72 em 2007). No final de maio, a Microsoft anunciou que vai tirar de catálogo jogos de Xbox Live Arcade com baixo desempenho – entre os fatores considerados, claro, a média do Metacritic: qualquer produto com pontuação abaixo de 65 é forte candidato ao corte.

É muito bom ver que as empresas estão cada vez mais preocupadas com a qualidade, e quem ganha com isso somos nós, jogadores. Porém, o crédito que se dá aos agregadores de reviews é desmesurado. Primeiro porque crítica não é ciência exata, não se mede com números, e muito menos a estatística pode ser o seu metro – justo ela que suprime cegamente todas as nuanças que são tudo para a arte. Segundo porque há conflitos ideológicos entre os veículos considerados: 6,0 para uns é algo acima da média, para outros é um desastre completo. Terceiro porque as análises são feitas com relativa pressa (mesmo que demorem semanas, em alguns casos), não sendo possível ter uma clara percepção histórica, uma noção de como a obra se coloca numa tradição. Quarto, e talvez mais importante, porque a simples existência dos agregadores distorce o que poderia ser considerado um valor médio, já que pode haver analistas preocupados em não se distanciar do consenso, adequando seu veredicto à média. Essa média, por sua vez, tende a gravitar muito próxima à expectativa que se tem do produto, o que faz dela uma medida de popularidade antes que de qualidade.

Essa última ressalva é motivada, em grande parte, pelo caráter habitual das prévias de jogos, mas sobre isso falarei em outra oportunidade. Por ora, fica a constatação de que, certo ou errado, a indústria de games está buscando uma vacina para evitar uma reprise do crash de 1983.

Posted in Artigos, Íntegras, Crítica de jogos, Editora Europa, Indústria de games, Internet, Jornalismo de games, Uncategorized | Etiquetado: , , , , | 10 Comments »

Aviso: Novo feed [troque o velho, por favor]

Posted by Fabão em 10 junho, 2008

Migre para o novo GamerLifestyle.com.br e curta mais atualizações, drops com as notícias do dia e muitos outros recursos.
Novo site: http://gamerlifestyle.com.br/
Novo feed: http://feeds2.feedburner.com/GamerLifestyle-com-br


Entre algumas modificações presentes e outras planejadas para o futuro, uma importante foi a troca dos feeds RSS (essas maravilhas da modernidade que entregam as novidades quentinhas para você, diretamente no conforto do seu agregador favorito). Dispensei os feeds capengas do WordPress em favor do notável FeedBurner, o que trará uma série de vantagens. Para quem recebe, na verdade, não muda muita coisa, aparentemente. Há uma ou outra microinformação que passa facilmente despercebida por nem ser tão relevante, mas o principal está por trás das aparências: com os feeds do FeedBurner, eu tenho acesso a uma porção de estatísticas, o que me permitirá planejar melhor as atualizações do Gamer Lifestyle de acordo com as expectativas dos visitantes. Por isso, se você ainda recebe as novidades pelo feed antigo, peço encarecidamente que troque pelos novos, listados abaixo:

Chamadas

Game Music Podcast

Comentários

Mais uma vez: por favor, deletem os feeds antigos e passem a assinar os novos. Leva só alguns minutos e trará grandes benefícios! ^_~

Posted in Gamer Lifestyle, Internet, Uncategorized | Etiquetado: , , , , | 1 Comment »

Íntegras: Resident Evil (Review, PS1) [Gamers 09, 06/1996] [+Bônus]

Posted by Fabão em 24 maio, 2008

Migre para o novo GamerLifestyle.com.br e curta mais atualizações, drops com as notícias do dia e muitos outros recursos.
Novo site: http://gamerlifestyle.com.br/
Novo feed: http://feeds2.feedburner.com/GamerLifestyle-com-br


Vamos começar a desenterrar fósseis. Temos aqui, hoje, a matéria que fez o Hitzman gostar de Resident Evil uma matéria publicada na Gamers 09, em junho de 1996 – lá se vão 12 anos… Eu completara 17 anos na produção dessa edição, portanto, era um infante no ramo e peço indulgência pela simplicidade do texto. Na época, eu era o único redator da revista (fora as colaborações de PC e Magic the Gathering do Mário Câmara) e a produção de cada número (este foi o meu quinto) demorava cerca dois meses (tanto que essa edição de junho de 1996 traz, em sua maioria, jogos lançados em março daquele ano). Embora fosse um redator juvenil, já assumia essa responsa de que eu nem me dava conta: avaliar e detonar um jogo paradigmático, o mítico Resident Evil do PlayStation.

Numa época sem as facilidades de hoje, lembro que foi uma batalha realizar o feito (sem deixar de fazer todo o resto, que incluiu um pseudo-detonado da versão japonesa de Super Mario RPG até a parte em que encalhei e todos os golpes do meu querido KOF ’95 do Saturn), capturando mais de 100 telinhas (só isso já rendeu chamada de capa!), fazendo mapa por mapa e numerando-os de acordo com o roteiro. Por isso, não apenas reproduzo aqui o review como também disponibilizo o PDF da matéria inteira, com o saudoso detonado… Depois do “Leia mais”!

Continue lendo »

Posted in Análises, Íntegras, Gamers, PlayStation, Uncategorized | Etiquetado: , , , , , , , | 22 Comments »

Racismo em Tóquio

Posted by Fabão em 16 maio, 2008

Migre para o novo GamerLifestyle.com.br e curta mais atualizações, drops com as notícias do dia e muitos outros recursos.
Novo site: http://gamerlifestyle.com.br/
Novo feed: http://feeds2.feedburner.com/GamerLifestyle-com-br


Dando uma inusitada continuidade ao tema que abordei aqui, encontrei e resolvi publicar esse vídeo que mostra um exemplo de “racismo” em Tóquio. Acho que eu também seria considerado racista… não tem como evitar. 😛

Via Danny Choo.

Posted in Comédia, Comportamento, Internet, Japão, Miscelânea, Racismo, Uncategorized, YouTube | Etiquetado: , , , , , | 1 Comment »

Íntegras: Folklore (Review, PS3) [D&T PlayStation 107, 12/2007]

Posted by Fabão em 26 abril, 2008

Migre para o novo GamerLifestyle.com.br e curta mais atualizações, drops com as notícias do dia e muitos outros recursos.
Novo site: http://gamerlifestyle.com.br/
Novo feed: http://feeds2.feedburner.com/GamerLifestyle-com-br


Hoje resolvi variar um pouco. Em vez de publicar uma pensata, decidi resgatar uma análise de jogo. E que jogo. Folklore, apesar de não ser conhecido do grande público, é uma obra que rivaliza com qualquer Final Fantasy ou Zelda por aí – e, principalmente, não dispensa a personalidade própria. Justamente por isso o escolhi para o tópico de hoje: para torná-lo conhecido por mais gente, para que mais pessoas (que sejam duas ou três, basta) fiquem curiosas em experimentá-lo e tenham uma experiência enriquecedora como a que eu tive.

Sem mais, fique com a análise depois do “Leia mais”…

Continue lendo »

Posted in Análises, Íntegras, Editora Europa, PlayStation 3, Uncategorized | Etiquetado: , , , , , , , | 7 Comments »